Câmara de Comércio França Brasil

Notícias
  1. CCIFB
  2. Notícias
  3. Atualidades das Câmaras
  4. Mercado global de transações imobiliárias gera oportunidades para não residentes

Mercado global de transações imobiliárias gera oportunidades para não residentes

Após registrar crescimento de 5,5% em 2016 frente ao ano anterior, o mercado global de transações imobiliárias tem despertado maior interesse de não residentes  – compradores que não moram no país de origem do imóvel, mas podem se beneficiar de condições locais de financiamento e incentivos.  Das 850 mil operações registradas, 17.140 foram realizadas por este perfil de cliente. Uma das razões da procura é o aumento de atrativos. 

Taxas competitivas, parcelas fixas e a possibilidade de permanência no país têm sido os principais incentivos ofertados por países como Portugal e França. Para desvendar o passo a passo para aquisição do tão desejado imóvel nas principais cidades portuguesas e da capital francesa, a Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-RJ) promoveu um encontro com especialistas nesta quarta-feira (09/08), em sua sede no centro do Rio. 

“As regras de financiamento para não residentes foram facilitadas enormemente nos últimos anos”, explicou o sócio fundador do Chenut Oliveira Santiago Advogados, Fernando Santiago, atual diretor da unidade de Paris. De acordo com o advogado, a principal causa de aquisição de imóveis na França e em Portugal é a construção de patrimônio no exterior. Em segundo lugar está a formação de uma outra opção de residência para famílias, caso em que Portugal é o destino mais procurado devido ao programa Golden Visa – regime que autoriza a residência permanente a partir de investimentos estrangeiros –  e a uma melhor adaptação cultural, principalmente por parte de pessoas com nacionalidade brasileira.  

De olho no aporte de capital estrangeiro, a França oferece aos brasileiros, assalariados de grupos internacionais, a possibilidade de financiamento de até 60% de um imóvel com valor de mercado a partir de € 300 mil. As vantagens na comparação com o Brasil incluem risco zero de investimento, já que o sinal investido é devolvido em caso de não aprovação do financiamento, parcelas fixas e taxas que não ultrapassam 2% ao mês. 

Na mesma direção, Portugal apostou suas fichas no Golden Visa. Desde 2013 em vigor, o programa vem contribuindo para o crescimento dos financiamentos imobiliários. Para o diretor da Sotheby´s de Portugal, Miguel Poisson, até o final deste ano, o país deve registrar 45% de aumento desta modalidade em comparação com 2016. “Portugal está em um momento econômico bom, possui um clima e geografia atrativos, além de ter sido eleito o terceiro país mais seguro do mundo de acordo com o Índice Global da Paz”, destacou. 

Rio de Janeiro

Voltar à lista