Câmara de Comércio França Brasil

Notícias
  1. CCIFB
  2. Notícias
  3. Atualidades das Câmaras
  4. CCFB lança Centro de Mediação

CCFB lança Centro de Mediação

Com corpo de mediadores e formadores altamente qualificado, Centro irá oferecer serviços focados na área empresarial, contribuindo para difusão da Mediação no Brasil

A Câmara de Comércio França-Brasil do Rio de Janeiro lança, no dia 28 de setembro, o Centro de Mediação CCFB (CM-CCFB), no espaço cultural La Maison, na Casa Europa. Criado para atuar na gestão de conflitos empresariais e oferecer serviços e formação profissional no campo da mediação, o CM-CCFB apoia-se na expertise francesa, atuando em cooperação com reconhecidas instituições do setor, como o renomado Centre de Médiation et d’Arbitrage de Paris (CMAP), instituição parceira e referência europeia na área de serviços de Mediação e Arbitragem. 

Outro diferencial é a participação dos ex-presidentes do Supremo Tribunal Federal, ministros Joaquim Barbosa e Ellen Gracie, no corpo de mediadores. Eles irão contribuir para o aumento da adesão da mediação no Brasil e para o desenvolvimento da modalidade como método eficaz de solução consensual de conflitos. Além dos ministros, o quadro de mediadores é formado, ainda, por profissionais experientes, com atuação nacional e internacional. 

 “Pretendemos tornar o Centro de Mediação da CCFB referência no suporte à resolução de conflitos, através de uma equipe bem preparada, de alto nível, e parceiros consolidados no setor. Com tantos inputs e networking em nossas mãos, temos artilharia para conquistar destaque no mercado corporativo”, afirma a presidente da CCFB-RJ, Claudine Bichara.

Outro ponto atrativo para as empresas é a oportunidade de preservar suas relações comerciais e até gerar novos negócios, lembra o advogado Carlos Roberto Siqueira Castro, presidente do CM-CCFB, doutor em Direito Público e Mediador formado pelo CMAP. “A mediação propõe-se a resgatar a comunicação entre os envolvidos. No cenário corporativo, isso faz com que as empresas em conflito possam recompor seu relacionamento, possibilitando a geração de novos negócios entre elas. O Centro encarrega-se de contatar as partes e fornecer todo suporte para sustentação desse cenário, de modo que as relações comerciais possam ser mantidas de forma satisfatória”, explica. 

De acordo com dados do Ministério da Justiça, o Brasil precisará de mais de 17 mil mediadores para solucionar, a partir deste ano, milhões de casos que atualmente levam até 10 anos para serem resolvidos no Judiciário brasileiro. Na França, onde o mercado está consolidado, um mediador recebe, em média, 400 euros por hora de trabalho, sendo que aproximadamente 70% dos processos mediados são resolvidos em apenas três sessões de nove horas no total, poupando tempo e desgastes financeiros, principalmente, no setor corporativo. “Hoje, somente na França existem cerca de cinco mil mediadores em atividade”, observa Claudine. 

Apoiado no sucesso da experiência francesa, na expertise de parceiros e de seu corpo técnico altamente qualificado, o CM-CCFB busca colaborar para o fortalecimento da mediação como um instrumento eficaz na solução de conflitos, geração de benefícios mútuos e manutenção de relações comerciais duradouras e satisfatórias.    

CENTRO DE MEDIAÇÃO OFERECE FORMAÇÃO E TREINAMENTOS 

Além dos serviços de Mediação, o CM-CCFB oferece cursos regulares para formação de mediadores e modalidades complementares para o exercício da atividade. Através de convênios com instituições renomadas, o Centro reúne uma equipe de formadores experientes, com atuação nos mercados europeu e americano, apta para ensinar os procedimentos e as técnicas de mediação de conflitos a partir de casos práticos e treinamentos continuados, que visam à formação permanente do mediador. Os módulos oferecidos são focados na área corporativa, explorando simulações e vivências reais, apoiadas em um intensivo programa teórico. Em paralelo, as formações complementares apresentam metodologias fundamentais para o emprego da mediação, como técnicas de comunicação não violenta, análise bioestututral adaptada à gestão de conflito, aprendizado da linguagem corporal, media acting, entre outras.    

A proposta visa aproveitar os talentos formados através do CM-CCFB, podendo integrá-los ao corpo de mediadores chancelados pelo Centro. “O objetivo é formar profissionais eficazes na arte de mediar conflitos e contribuir para a redução da quantidade dos processos que existem, hoje, no Judiciário. Assim, também haverá redução dos custos para as empresas envolvidas já que podem, inclusive, dividir os gastos previstos no acordo”, finaliza Claudine.

Rio de Janeiro

Voltar à lista