Câmara de Comércio França Brasil

Notícias
  1. CCIFB
  2. Notícias
  3. Notícias dos Associados
  4. Be Coaching participa do III Seminário Internacional de Mediação

Be Coaching participa do III Seminário Internacional de Mediação

Crédito: Tarso Ghelli

 

Muitos já ouviram falar no termo Comunicação Não-Violenta (CNV), mas poucos ainda fazem uso desse importante e eficaz instrumento que pode ser aplicado por organizações e instituições, a fim de desenvolver empatia, promover entendimento, cooperação e pacificação. A constatação não é diferente na área jurídica: boa parte dos cerca de 300 participantes do debate ‘Diálogo, Escuta, Comunicação e a Mediação’ – realizado no último dia 18, durante o III Seminário Internacional de Mediação, em Belo Horizonte (BH) – afirmou ter conhecimento sobre CNV, mas menos de 20 pessoas informaram ter passado por algum treinamento específico. A plateia era formada por ministros – Delaíde Arantes (TST) e Reynaldo Soares da Fonseca (STJ) –, juízes, desembargadores, advogados, mediadores, profissionais atuantes no campo do Direito e acadêmicos. O evento foi promovido pela Conférence Internationale de Médiation pour la Justice (CIMJ), pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e Instituto de Mediação Aplicada (IMA).

“Em alguns litígios, ocorre uma ruptura do diálogo. A CNV ajuda o mediador a demonstrar empatia para as partes em conflito e oferece ferramentas que, independentemente do âmbito, possam equilibrar questões emocionais, identificar interesses e necessidades subjacentes, além de estabelecer, entre os interessados, uma comunicação que conduza a consensos e acordos. Em se tratando do Judiciário, a mediação preserva relações, evita custos, desperdício de recursos e tempo”, explica Marie Bendelac Ururahy, sócia e cofundadora da Be Coaching Brasil, que participou da mesa como palestrante e debatedora. Marie foi convidada pela juíza Martha Halfeld Furtado de Mendonça Schmidt – do TRT 3ª Região e Tribunal de Apelação da ONU – e pela psicanalista Rita Andréa Guimarães de Carvalho Pereira, mestre em Mediação pelo Institut Kurt Bosch Sion e presidente do Instituto de Mediação Aplicada (IMA). O engajamento dos participantes gerou interesse para que a cofundadora da Be Coaching Brasil promova em Belo Horizonte, no segundo semestre, o curso Comunicação Não-Violenta para Mediadores, que também será organizado, em agosto, na Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB), no Rio de Janeiro.

“A CNV vem revolucionando os relacionamentos em mais de 100 países e despertando atenção cada vez maior no Brasil, tanto em relação à sua utilidade individual quanto nos ambientes corporativos e institucionais, como em governos e até na ONU. Desenvolvida pelo psicólogo norte-americano Marshall Rosenberg durante aproximadamente 50 anos de pesquisa, é oportuníssima em momentos como o atual, em que as pressões sociais, econômicas e políticas agem como potencializadores do estresse coletivo, o que gera frequentes desentendimentos e desacordos, com prejuízos aos envolvidos”, explica Marie. Ela destaca que, nos anos 60, Rosenberg trabalhava como orientador educacional em escolas e universidades dos Estados Unidos que aboliram a segregação racial. Em meio às tensões geradas do período, ele conduzia um processo de transição pacífica, por meio de arbitragem e treinamento em técnicas comunicativas.

O III Seminário Internacional de Mediação foi organizado com o intuito de promover amplo debate sobre a mediação, a partir da difusão de ideias e práticas que permitam a realização da justiça nos tempos atuais. “O mediador de conflitos tem papel fundamental em nossa sociedade. Devido às tensões do cotidiano, as pessoas vêm sendo obrigadas a lidar com diferentes situações, mas que requerem soluções, pois o preço dos rompimentos é muito alto para qualquer um, sejam cidadãos ou instituições”, diz Marie. O evento foi encerrado com palestra de Michèle Guillaume Hofnung, professora catedrática de Direito Público na França, responsável pelo projeto de mediação da Universidade de Paris II e vice-presidente da Comissão dos Direitos Humanos da Comissão Nacional Francesa para a UNESCO.   

 

(Crédito Foto: Tarso Ghelli)

Associados

Voltar à lista