Canal Aberto Covid-19: Ataques cibernéticos explodem durante a pandemia

Segundo levantamento realizado pela Trend Micro, líder global em soluções de segurança de dados corporativos e cibersegurança, foram detectadas, entre os meses de fevereiro e março, cerca de 22.700 URLs maliciosas com relação ao COVID-19. O número de ameaças superou 900 mil. Foram encontrados também dezenas de aplicativos falsos que geraram 6,7 milhões de vítimas. O uso do nome de grandes marcas como Heineken, Netflix, Tramontina e Melissa nos golpes potencializaram o volume de pessoas impactadas.

As informações foram apresentadas por Antoine Blavier, diretor Operacional da Velours International no Brasil, convidado do Canal Aberto COVID-19 da Câmara de Comércio França-Brasil de São Paulo (CCIFB-SP), realizado via webinar, no dia 17 de abril, para os associados. O último encontro da iniciativa foi com Gilles Coccoli, Chief Operating Officer (COO) Américas da empresa, e você pode ler aqui.

Segundo Blavier, por conta da pandemia, cresceu o uso de soluções e tecnologias por parte das empresas e dos profissionais que não foram testadas. Um exemplo citado pelo especialista foi o do ZOOM, ferramenta de webinar, que ganhou uma popularidade enorme e chamou a atenção dos criminosos que se beneficiaram de algumas falhas no sistema.

Sobre medidas que as empresas podem colocar em prática para se proteger de crimes cibernéticos e proteger seus colaboradores que estão trabalhando em home office, o especialista destacou: a criação de um comitê de gestão de crise para segurança da informação, revisar as políticas, fundamentos e medidas de segurança, repensar o cenário de ameaças, definir prioridades e planos efetivos de ação. Ressaltou, ainda, que é essencial pensar nas redes domésticas, manter os dispositivos seguros de antivírus, atualizações e senhas fortes.

Assista o replay do evento: aqui

^