Canal Aberto Covid-19: Como cultivar saúde, bem-estar e o engajamento dos colaboradores durante a pandemia?

Amenizar os impactos negativos da quarentena entre os colaboradores está sendo um dos grandes desafios enfrentados pelos profissionais de recursos humanos. Para debater o tema, a Câmara de Comércio França-Brasil de São Paulo realizou, no dia 8 de maio, mais um webinar Canal Aberto COVID-19, com especialistas da Saint-Gobain, Sanofi e BNP Paribas. Para acessar o conteúdo do último encontro que traz as boas práticas realizadas pela Tereos, clique aqui.

Lilian Souza, diretora de RH da Saint-Gobain Distribuição Brasil, controladora das bandeiras Telhanorte e Tumelero, contou que não praticavam home office e tiveram que colocar 800 colaboradores em casa no prazo de uma semana. Segundo ela, trabalhar o engajamento foi essencial. Lilian destacou três projetos: o Bora facilitar o dia a dia, com o objetivo de fornecer dicas para melhorar a rotina, o Bora se desenvolver, que oferece treinamentos online e lives sobre diferentes temas, e o Queremos te ouvir, um canal online de bate papo e acolhimento para ouvir e auxiliar os profissionais.

Já Pedro Pitella, diretor de Recursos Humanos da Sanofi no Brasil, ressaltou que a empresa conseguiu se planejar com antecedência para colocar em prática as mudanças que a pandemia trouxe para o modelo de trabalho. Entre as novas ações de gestão de pessoas destacou a contratação de Telemedicina Einstein para 100% dos colaboradores sem custo, sessões especiais Gympass de ginástica laboral virtual, prêmio 15% para colaboradores do frontline, série de podcasts sobre diferentes temas e arena do saber.

De acordo com Renato Rovina, Head de Recursos Humanos do Banco BNP Paribas no Brasil, que cuida da gestão de cerca de 900 colaboradores, as ações de combate a crise para os 90% dos profissionais em home office – ou working from home – integraram ajustes nos acessos para permitir operações remotas, liberação das cadeiras do escritório e acordo com fornecedores para compra de cadeiras ergonômicas. Para os 10% que ficaram em operação, foram implantadas regras de distanciamento, disponibilização de máscaras e álcool em gel, facilitação do deslocamento e alimentação dentro do ambiente de trabalho.

^