ENGIE participa de iniciativas sociais ligadas ao Covid-19

 

O Brasil e o mundo vivem o desafio de combater o Covid-19. Para fazer frente a essa situação, a ENGIE adotou medidas para proteger seus colaboradores, ao mesmo tempo em que busca a maior normalidade possível das suas operações em energia elétrica, gás e soluções energéticas, essenciais ou não. Ao mesmo tempo a empresa busca contribuir para ações de apoio ao enfrentamento da crise e seus efeitos sociais.

 

Entre as diversas ações, está a parceria com a L’Oréal Brasil, na qual a ENGIE doou a energia elétrica renovável necessária para a produção de 750 mil unidades de álcool em gel e kits de higiene básica pela L’Oréal. Esses produtos serão distribuídos para hospitais de São Paulo, Rio de Janeiro e Nordeste.

 

A ENGIE também se uniu a outras cinco empresas do setor elétrico para arrecadar recursos ao fundo emergencial da Fundação Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), visando aumentar a produção de testes diagnósticos do Covid-19. Até o momento, já foram doados R$ 9 milhões. O projeto é coordenado pelo Instituto Acende Brasil.

 

A empresa desenvolveu ainda junto aos seus colaboradores em todo o Brasil uma campanha para incentivá-los a doar a instituições parceiras especializadas na distribuição de cestas básicas para comunidades carentes. Nesse programa, para cada Real doado pelo funcionário, a empresa contribui com o mesmo valor. Cerca de R$ 250 mil foram arrecadados com a participação de 1.160 colaboradores, ajudando 33 instituições próximas das sedes, usinas e escritórios da ENGIE no Brasil.

 

A ENGIE também doou cerca de R$ 540 mil a instituições situadas no entorno das suas usinas de geração de energia. A ação solidária visou, principalmente, prefeituras, hospitais e secretarias municipais de saúde para a aquisição de EPIs, álcool em gel e respiradores. A iniciativa reforça os laços entre as usinas e as comunidades vizinhas, que já são parcerias históricas na promoção da preservação do meio ambiente, promoção da educação e da cultura e investimentos em infraestrutura.

 

Por intermédio da Fundação ENGIE, foram aportados 100 mil euros para a reforma do Hospital Universitário do Fundão, no Rio de Janeiro. A iniciativa garante recursos para obras de ampliação e preparação de UTIs que serão destinadas ao tratamento de pacientes com a COVID-19. Esse valor é cerca de 10% de todos os recursos que a Fundação liberou para ações ligadas ao covid-19 em todo o mundo.

 

“Todos nós estamos aprendendo a ser mais humanos, humildes e sensíveis nesse momento. Sabemos que precisamos da união de todos, empresas, pessoas e Estado, de forma organizada, para diminuir os impactos sociais promovidos por essa crise sem precedentes”, ressaltou Maurício Bähr, CEO da ENGIE Brasil. “Somente a través de parcerias conseguimos fazer isso”.

 

( Informações e imagem: ENGIE Brasil)

^