Em meio a pandemia de COVID-19, LEROY MERLIN confecciona máscaras para doação

Em parceria com “Movimento Brasil contra o Vírus” empresa utiliza impressora 3D para fabricar equipamento de proteção aos profissionais da saúde

Diante do avanço da pandemia a LEROY MERLIN, líder no varejo de materiais de construção, fechou uma parceria com o Movimento Brasil Contra o Vírus e disponibilizou seu Bricolab, espaço para confecção de artigos e promoção de cursos em sua loja da Marginal Tietê, para confecção de máscaras de proteção hospitalares produzidas a partir de suas impressoras 3D.

Desde hoje (30/03), os 8 voluntários do Movimento Brasil Contra o Vírus passaram a produzir máscaras de proteção facial para doação. Até o momento a LEROY MERLIN trabalha com 8 impressoras profissionais 3D, além de o oferecer o espaço físico para desenvolver os equipamentos.

“Nossa estimativa é trazer mais máquinas para a Loja, pois temos espaço físico adequado, A LEROY MERLIN pretende produzir 12 mil máscaras em 3 meses para doação”, comenta Rodrigo Spillere, Gerente de Inovação da LEROY MERLIN.

O equipamento de proteção individual (EPI) para os profissionais da saúde e mais eficaz do que alguns outros EPIs como caso dos óculos tradicionais, pois, cobre o rosto por completo e pescoço não deixando que as gotículas de saliva dos pacientes cheguem ao rosto do profissional. Apesar disso, ela não substitui o uso da mascara N95, que filtra a passagem de ar e impede a contaminação.

A iniciativa busca abastecer as unidades de saúde públicas e privadas do Brasil, a idealizadora do movimento Thabata Alcântara, engenheira Biomédica disse que muitas empresas e pessoas físicas demonstraram interesse em ajudar nas redes sociais, “criamos comitês regionais para suprir a demanda da rede do bem que criamos, temos mais de 1600 pessoas querendo ajudar”, comenta a engenheira.

Isso é importante, pois os EPIs demoram para serem produzidos, “sabemos que a confecção desse equipamento leva tempo, cada uma se produzida em máquinas profissionais leva cerca de uma hora para ficar pronta, já em máquinas não profissionais esse tempo pula para 3 horas”, revela a engenheira.

^