Patrícia Ellen afirma aos empresários franceses que retomada consciente é o único caminho para o estado

De acordo com a secretária do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Governo de São Paulo, Patrícia Ellen, o plano de retomada consciente é o único caminho para o Estado de São Paulo. Patrícia participou de Live realizada pela Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), no dia 9 de junho, com empresários franceses e brasileiros. Confira as últimas lives realizadas pelo Canal Aberto COVID-19 aqui.

 

Segundo a secretária, o primeiro ponto importante é entender que não se trata de uma simples abertura da economia e sim da convivência. Patrícia explicou que o governo vai usar bandeiras que indicarão as cinco fases da retomada. O Estado foi dividido em cinco zonas de risco que serão avaliadas de acordo com indicadores como, por exemplo, capacidade hospitalar e disseminação do COVID-19. Para ela, as aberturas devem ocorrer de forma controlada, com horários e percentual de visitantes reduzidos. (veja abaixo a tabela de funcionamento).

 

Sobre o PIB de São Paulo, Patrícia afirmou que a queda estimada é em torno de 5,5% e 6%. Disse, ainda, que o governo realizou um amplo mapeamento das regiões mais vulneráveis e que a grande preocupação é, sem dúvida, com o aumento do desemprego. Também falou sobre o estudo que mostra os setores mais vulneráveis. São eles: serviço doméstico, beleza, atividades artísticas, hotelaria e comércio.

 

A secretária também ressaltou o plano que está sendo desenhado de retorno das instituições da área de educação. Segundo ela, estão sendo avaliados os caminhos possíveis e seguros para o retorno de cada grupo como, por exemplo, ensino infantil, ensino médio, ensino técnico, faculdades e etc. De acordo com Patrícia, a equipe apresentará nas próximas semana o plano que vai atender a área educacional.

 

Conheça as cinco fases para retomada de atividades:

Fase 1 (alerta máximo): fase de contaminação, com liberação apenas para serviços essenciais;

Fase 2 (controle): fase de atenção, com eventuais liberações;

Fase 3 (flexibilização): fase controlada, com maior liberação de atividades;

Fase 4 (abertura parcial): fase decrescente, com menores restrições;

Fase 5 (normal controlado): fase de controle da doença, liberação de todas as atividades com protocolos).

^