Sanofi compartilha as três etapas estratégicas adotadas no combate do COVID-19

O Brasil está entre as 10 maiores operações da Sanofi no mundo. Cerca de 1/3 dos negócios da América Latina são no Brasil. Em 2018, foram investidos 13,1 milhões de euros na unidade de Estudos Clínicos de são Paulo.

Para compartilhar as boas práticas realizadas pela Sanofi durante a pandemia, a Câmara de Comércio França-Brasil de São Paulo realizou, no dia 2 de junho, mais um webinar Canal Aberto COVID-19, com o médico Antonio de Paiva Castro Junior, responsável há 16 anos pela área de Saúde Ocupacional da América Latina na Sanofi. Veja outras matérias sobre o tema aqui.

De acordo com Castro, o fato de a Sanofi ter uma operação em Xangai fez com que a empresa se antecipasse e planejasse as primeiras ações. Na primeira fase, chamada de pré-pandemia, a empresa reativou o comitê de crise, realizou um mapeamento do grupo de risco, planejou o piloto de home office, definiu as ações de comunicação e o protocolo de higienização e EPI’s.

Entre as ações da segunda fase, Castro destacou: novas ações de comunicação, a antecipação da vacinação da H1N1, realizada por meio de drive-thru, o mapeamento da rede de atendimento médico e hospitalar, a telemedicina, o suporte ao colaborador, o controle da temperatura em fábrica, o distanciamento social, o suporte psicológico e o início das testagens.

Castro ressaltou a terceira fase como o “back to the future”. Segundo ele, nesse momento ter amplo conhecimento sobre taxas de novos casos e mapeamento atualizado da situação da pandemia a nível nacional são essenciais. Além disso, a Sanofi definiu a logística de entrega dos Kits, realizou uma pesquisa de retorno ao trabalho e está analisando a aquisição de um aplicativo que o colaborador possa informar antecipadamente para a área determinada, que está com algum sintoma ou esteve em contato com alguém com coronavírus.

A Sanofi também determinou ações diferentes para cada área da empresa. De acordo com Carlos, para a área de vendas, por exemplo, foi realizado um mapeamento regionalizado da pandemia, além da definição dos grupos de retorno, logística de entrega dos kits e testagem. Já para a área administrativa, o controle da temperatura, criação de protocolos de diagnóstico e acompanhamento de casos internos. Sobre a definição dos grupos de retorno, o especialista sinalizou que que será limitada a 30% da força de trabalho e com turno reduzido.

Vídeo do evento disponível aqui

^