A escolha da formação executiva depende da localização no ciclo de vida profissional

De acordo com a professora doutora Célia Marcondes Ferraz, a educação para o trabalho surgiu para aprimorar as competências operacionais e ajudar as lideranças a resolverem conflitos, a desenvolverem novas formas de avaliação de resultados, a implementarem ações de governança corporativa e cultura organizacional. Não à toa, segundo ela, a formação executiva sempre teve um papel importante dentro das organizações.

 

Célia participou de live realizada pela comissão de Educação Superior e Executiva da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), no dia 3 de setembro. O último encontro da comissão debateu o modelo Agile Digital e pode ser lido aqui. Segundo a especialista, a escolha da formação executiva deve estar alinhada ao ciclo de vida profissional. Ela ressaltou que se você é um jovem profissional deve optar por um MBA por oferecer uma visão global de negócio com foco em uma área.

 

Já cursos focados em necessidades específicas como, por exemplo, Transformação Digital ou Cibersegurança são indicados, segundo Célia, para profissionais com maturidade na carreira. Para o profissional sênior, ela indica a busca por alguns temas específicos para atualização. A pandemia traz grandes desafios para a humanidade, segundo Célia. Para a especialista, o futuro vai exigir ainda mais um autoconhecimento e uma sintonia com o mundo. Segundo ela, temas de base filosófica como intolerância e ciberbullying vão ganhar ainda mais destaque e exigir uma maior reflexão.

^