“Brasil deveria dar ‘sinal mais claro’ sobre meio ambiente”, diz Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse nesta terça-feira (23) que o Brasil deveria dar um “sinal mais claro” sobre as políticas relacionadas ao meio ambiente. Este sinal, segundo o parlamentar, serve para não afastar investimentos quando a pandemia do novo coronavírus passar.

A avaliação foi feita durante uma videoconferência promovida pela Câmara de Comércio França-Brasil.

Segundo Maia, a credibilidade do país no setor ambiental e em relação à independência das instituições tem um “custo grande na retomada do investimento”. Ele ainda criticou a crise política no Brasil, que tem provocado manifestações antidemocráticas, com pedidos de fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

“A gente também deveria dar um sinal mais claro em relação ao meio ambiente. Nós sabemos que esse é um ponto importante para muitos investidores no mundo”, afirmou.

Maia disse ter recebido cartas de muitos investidores estrangeiros preocupados com a condução da política ambiental e disse que o setor é caro a empresários americanos e europeus.

“É uma agenda que o governo trata de uma outra forma. Foi eleito para isso. É legítimo. Mas isso pode ter um custo muito grande na retomada do investimento, que é exatamente a credibilidade do Brasil em relação à independência das nossas instituições e o tema do meio ambiente que são temas certamente muito importantes para aqueles que investem, principalmente para aqueles estão na Europa e nos EUA”, declarou.

Nesta terça, reportagem do jornal “O Globo”, mostrou que um grupo de investidores internacionais enviou uma carta aberta a embaixadas brasileiras em oito países manifestando preocupação com o aumento do desmatamento no Brasil.

2ª Instância

Maia também disse que a Câmara deve retomar os debates e votar em agosto a proposta de emenda constitucional (PEC) sobre a prisão após condenação em segunda instância.

Maia afirmou que a mudança deverá valer para todas as esferas do judiciário, como a trabalhista, penal, tributária entre outras. O relator do texto na Câmara é o deputado Fábio Trad (PSD-MS)

“Queria reafirmar meu compromisso de votar a reforma tributária em agosto e também a PEC da Segunda Instância durante o mês de agosto também, que são duas pautas que são de fato importantes para sociedade brasileira”, disse.

Fonte: G1

^