COVID-19 acelera transformação digital nas empresas

Não é novidade que a propagação global do COVID-19 (coronavírus) afetou os negócios dos mais variados setores. Principal evento de 2020, a pandemia obrigou mudanças e adaptações no comércio. Entre elas, a aceleração da transformação digital, conforme concluiu a 6ª edição da pesquisa Barômetro, realizada pelo Instituto Ipsos em parceria com a Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB).

A pesquisa, realizada entre 20 de Outubro e 4 de Dezembro de 2020, contou com a participação de 117 respondentes que ocupam cargos estratégicos em empresas francesas e brasileiras associadas à CCIFB. Destes, 64% atuam na área de serviços.

Maior investimento em TI força empresas a adotarem processos digitais

De acordo com a pesquisa Barômetro, empresas do setor de vendas foram as mais prejudicadas pela pandemia. A afirmação é de 30% dos respondentes, que alegaram que o setor foi mais impactado negativamente.

Empresas da área de Recursos Humanos (15%), operações (12%) e finanças (9%) também foram citadas como setores afetados pelo novo vírus.

Quanto aos setores que mais demandaram investimentos, 34% dos associados respondentes mencionaram a área de Tecnologia da Informação (TI). Em seguida aparecem no levantamento o setor de operações (12%), vendas (10%) e pesquisa e desenvolvimento (7%).

A pesquisa concluiu ainda que a maior quantidade de investimentos em tecnologia forçou empresas a anteciparem seus processos de transformação digital para expandirem suas estratégias de vendas durante e pós-pandemia como forma de se adaptarem ao novo “normal”. 

Transformação digital: o novo “normal” dentro das empresas

Para adaptar-se à uma nova realidade onde migrar para o digital é “lei” para sobreviver aos negócios e destacar-se da concorrência, empresas precisaram adaptar o trabalho presencial para o modelo remoto (home office ou teletrabalho). 

De acordo com o relatório do Instituto Ipsos, 77% dos funcionários das empresas onde os respondentes atuam estão trabalhando via home office.

Em empresas onde o modelo de trabalho à distância não era possível, equipes foram reduzidas e medidas de segurança foram tomadas, conforme exigem a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Secretarias da Saúde.

Porém, segundo a pesquisa, apesar dos respondentes tomarem todas as medidas preventivas, 53% dos respondentes afirmaram que uma média de 8% de seus funcionários testaram positivo para a COVID-19. 

Os dados podem ser justificados pelo fato de 18% dos participantes da pesquisa terem afirmado que a empresa onde atuam estão mais despreparados do que preparados ou totalmente despreparados para o sistema de trabalho remoto. Apenas 30% dos respondentes asseguraram estar totalmente preparados para o novo método de trabalho e 49% afirmaram estar mais preparados do que despreparados.

O cenário deixa claro que, apesar de compreenderem a importância de migrar para o universo online, adaptar-se  ao novo “normal” e a transformação digital ainda é uma dificuldade para muitas empresas. 

Percepção positiva do digital nas empresas aumenta 7%, segundo estudo

Outro dado relevante concluído pela pesquisa Barômetro Ipsos-CCIFB foi o aumento da percepção positiva sobre o impacto do digital nas empresas. 

Durante a 5ª edição da pesquisa, realizada entre 4 de Dezembro de 2019 e 12 de Janeiro de 2020, 84% dos funcionários afirmaram que o digital impacta positivamente no modelo de negócio onde atuam.

Porém, ao comparar a 5ª e a 6ª e mais atual edição da pesquisa, concluiu-se um aumento de 7% na percepção positiva do impacto do digital. Durante a 5ª edição, 35% dos respondentes afirmaram que a transformação digital impacta muito positivamente os negócios. Já na atual edição, 42% dos participantes fizeram a mesma afirmação.

Os principais motivos para o aumento da percepção positiva a respeito do digital nos negócios foram: maior produtividade e eficiência(38%), melhora nos negócios (22%) e confiabilidade e novos canais de comercialização (21%).

CCIFB aplaude estudo realizado pela Ipsos e incentiva transformação digital em empresas 

Comemorando uma bem-sucedida trajetória de 120 anos, a Câmara de Comércio França-Brasil é a mais antiga câmara de comércio bilateral em atuação no Brasil e a maior câmara francesa da América Latina.

Com mais de 8000 associados, as quatro unidades regionais da CCIFB (CCIFB-SP, CCIFB-RJ,CCIFB-MG e CCIFB-PR) formam uma ampla rede de atuação, estimulando o desenvolvimento das relações econômicas, financeiras, comerciais, industriais, científicas e culturais entre Brasil e França.

A Câmara Francesa parabeniza o Instituto Ipsos pelo estudo e agradece a parceria de longa data. 

Além disso, através de suas comissões, a CCIFB estimula à imersão de empresas frances, brasileiras e demais nacionalidades a inovarem e experimentarem as inúmeras possibilidades do universo online para estarem se adaptarem à transformação digital e se adequarem às novas necessidades do mercado.

^