Secretário do Tesouro Nacional – Os desafios econômicos

CCIFB-SP reúne empresários e o secretário do Tesouro Nacional para debater os desafios econômicos 

Mansueto Almeida, secretário do Tesouro Nacional, defendeu que a aprovação da reforma da previdência, a redução dos gastos públicos e a desburocratização são essenciais para a retomada da economia. “O futuro do País vai depender da aprovação das reformas políticas e econômicas”, ressaltou. “Estamos diante de um grande desafio, mas que acreditamos que pode ser vencido por meio de uma agenda efetiva e do diálogo”, sinalizou Almeida durante café da manhã realizado pela Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), na sede do BNP Paribas.

De acordo com o secretário, algumas medidas vão fazer toda a diferença no cenário atual. “Pela primeira vez em anos, podemos colocar ideias ousadas na mesa”, explicou. “Há quatro anos, por exemplo, não poderíamos tocar em questões como a previdência, contribuição sindical e patronal e até mesmo em eventuais mudanças no FGTS”, enfatizou.

Mansueto destacou, ainda, que ideias sobre como reduzir o papel dos bancos públicos, podem ser apresentadas e debatidas. “É a primeira vez que a nomeação de três presidentes de bancos públicos é feita por um ministro da economia”, disse. “Também queremos avançar na agenda de privatizações e concessões”, sinalizou.

De acordo com o secretário, Estados Unidos e Reino Unido não têm o costume de crescer 5%, 6%, 7% ao ano. “Mas quando se olha para o histórico dos EUA, fica claro que as reformas realizadas fizeram o país crescer por mais de meio século de forma consistente”, disse.

“Esse é o principal desafio do Brasil. A gente precisa se preocupar menos com o que o governo pode fazer para crescer 4%, 4,5% e mais com que o governo pode fazer para ter previsibilidade e segurança regulatória para atrair investimentos”, enfatizou.

Sobre o plano de socorro aos estados, Mansueto ressaltou que o governo prevê cobrir garantias para operações entre bancos públicos, instituições financeiras privadas e entes da federação.

Outro ponto destacado pelo secretário foi a questão da transparência e do acesso às informações e dados do governo. “Estamos trabalhando para alterar o nosso site, por exemplo, para que fique mais amigável e qualquer pessoa possa acessar e entender as informações que lá estão”, concluiu.

Para Sandrine Ferdane, presidente do BNP Paribas e da CCIFB-SP, a apresentação do secretário do Tesouro Nacional esclareceu a agenda positiva na qual o governo está trabalhando e como os desafios econômicos podem ser superados. “Estamos felizes em ter a oportunidade de debater temas importantes para o avanço do País”, ressaltou.

^