Varejo: Omnichannel e APIs impulsionam transformação digital do setor, aponta pesquisa da Capgemini

O crescimento da economia digital é impulsionado por empresas que buscam sempre novos modelos de negócios. Um exemplo são canais de interação com os clientes. Esses canais, no entanto, devem ser cada vez mais eficientes e a disposição deles. O crescimento da economia digital é claramente visível  no setor do varejo, pois é um segmento em que a interação com os consumidores através de canais digitais é fundamental e necessário. Porém, não mais um diferencial, como há alguns anos atrás.

Segundo uma pesquisa da Capgemini, consultoria associada à CCIFB-SP, que aponta os estágios globais da transformação digital, 46% das empresas de varejo acreditam que as tecnologias digitais irão alterar radicalmente a maneira tradicional de fazer negócios. Porém, apenas 36% dessas empresas possuem estratégias detalhadas para realizar tal mudança.

Atualmente, as plataformas varejistas são mais do que um meio de compra e venda de produtos. Hoje, a experiência do consumidor tornou-se prioridade.

Além disso, com tantos canais para serem trabalhados e um público mais exigente, o ambiente do varejo têm se tornado cada vez mais desafiador. Neste cenário, uma estratégia Omnichannel é fundamental. O omnichannel permite integrar todos os canais de atendimento ao cliente. Além disso, oferece uma experiência única e integrada através de todos os canais disponíveis.

Nessa jornada, as empresas têm enfrentado o desafio de dar escala às integrações de tecnologias e canais diferentes. Além disso, muitas empresas têm recorrido às APIs como forma de garantir a escala e o gerenciamento dessas integrações.

Outras empresas têm recorrido aos “marketplaces” como forma de se posicionarem, sejam participando desses marketplaces como lojistas independentes ou então criando seus próprios. Novamente, a integração é chave para essa estratégia e as APIs surgem para garantir a viabilidade da estratégia.

Segundo a pesquisa “O Estado das APIs”, feita pela Sensedia em parceria com a PwC, 77% das companhias entrevistadas usam APIs externas para criar ecossistemas de negócios. Uma plataforma de APIs habilita uma série de novas integrações que aumentam a competitividade para o setor de varejo.

Marketplaces: integração e abertura

Grandes redes de varejo perceberam que, ao encarar a estratégia de marketplaces, era possível reduzir custos e integrar pequenos lojistas à sua plataforma. Contudo, a integração dos lojistas passou a ser um desafio e por essa razão, as APIs se mostraram essenciais para garantir a escala e a gestão dessas integrações.

Atualmente, muitas empresas estão apoiando a sua estratégia de transformação digital nas APIs. De maneiras diferentes,  essas empresas estão experienciando um crescimento exponencial de seus negócios.

É o caso, por exemplo, da Via Varejo. Através das APIs abertas, se transformou em um grande ecossistema de lojas. Com isso, pôde multiplicar o número de produtos que vende, sem ao menos precisar aumentar seu estoque ou centros de distribuição diretamente. Hoje, mais de 4 mil lojistas, entre pequenos e grandes, estão conectados à plataforma. O valor pode ser justificado devido ao fato de o marketplace (integrado por APIs) representar mais de 20% do GMV (Volume Bruto de Mercadoria). Isso só é possível porque o tempo de integração de um lojista através de uma API é muito baixo. Leva-se mais tempo para assinar um acordo comercial do que para desenvolver a integração.

O mesmo aconteceu com a Netshoes. O grupo, que já adota um posicionamento totalmente “digital”, fez mudanças em grande parte da sua plataforma de vendas. Além disso, apostaram em uma estratégia de marketplace, com o apoio das APIs. Ao se posicionar como plataforma, a empresa permitiu que mais de 800 lojistas passassem a vender por meio de seu portal. Hoje, cerca de 12% da receita da companhia vem do marketplace.

Omnicanalidade: forte tendência para o varejo

Uma recente pesquisa da Accenture mostrou que os consumidores que podem acessar canais múltiplos de compras (omnicanalidade) gastam 37% à mais quando comparados à canais únicos. Inspirados nessa tendência, algumas redes varejistas já começaram a investir em APIs para tornar a experiência omnichannel uma realidade. As APIs permitem que os serviços dos sistemas sejam acessados por diferentes interfaces e dispositivos, possibilitando a jornada completa do cliente através de diferentes canais (chatbot, ecommerce, apps, lojas físicas, parceiros, etc).

A rede de farmácias Panvel está trabalhando com o conceito de omnicanalidade e, com isso, consegue oferecer uma experiência integrada em qualquer canal. Os canais digitais, integrados na mesma base, deram à rede uma eficiência operacional muito maior. Hoje eles estão presentes em 60 cidades no Sul do país e na capital paulista e os sistemas de vendas de mais de 600 lojas estão conectados. Atualmente o chatbot, criado através de APIs, atende cerca de 40% de todas as interações com a empresa, ou seja, 25 mil pessoas, e oferece as mesmas funcionalidades que o aplicativo.

A performance, segurança e conectividade com diversas frentes digitais permitiu que a Panvel identificasse oportunidades e necessidades de seus clientes, que poderiam ser supridas através de iniciativas digitais. Através de lockers em aeroportos, academias, faculdades, eles conseguem entregar os produtos aos clientes em até duas horas (mas a média é de 35 minutos). No varejo, a conveniência é um aspecto muito forte e necessário, portanto, a demanda por agilidade na entrega dos produtos enriquece a experiência de compra dos clientes.

O papel das APIs na transformação digital do varejo é de extrema importância: garantir maior controle e gerenciamento de estoque, um melhor funcionamento da distribuição e logística e proporcionar a integração de novos canais de parceiros, gerando assim mais negócios e consequentemente, melhores resultados, de acordo com a sua estratégia.

Fonte: IT Fórum 365

^