Rio de Janeiro Entrevistas

Dia Mundial do Refugiado e as mudanças climáticas

Data reforça a conscientização sobre pessoas em situação de deslocamento.

O Dia Mundial do Refugiado, celebrado hoje, 20 de junho, é uma data estabelecida pela Assembleia Geral das Nações Unidas, no ano de 2000, para promover a reflexão e o apoio a pessoas em situação de deslocamento por questões sociais, econômicas e polícias. Com o avanço de impactos negativos no meio ambiente, as mudanças climáticas estão cada vez mais sendo configuradas como causas migratórias e de refúgio.  

“Os efeitos da crise climática têm impactado o deslocamento de pessoas no mundo todo. É importante refletirmos sobre ações e políticas públicas de acolhimento e garantia de direitos, sem deixar de atuar à frente do combate às mudanças climáticas, ampliando a conscientização sobre o tema”, avalia Mélanie Montinard, cofundadora da Mawon

Nas iniciativas para conscientizar e capacitar sobre o avanço das mudanças climáticas, Mélanie destaca que é importante integrar ações no dia a dia das pessoas. Para isso, o tema deve estar presente nos mais diversos espaços, desde escolas, empresas e esfera pública, atrelando reflexões e práticas. Nas empresas, esse movimento está presente na adoção de estratégias e projetos de ESG, fundamentais para o desenvolvimento sustentável. 


Paralelo ao G20, Mural do Clima promete capacitar mais de 1000 pessoas 

Em novembro, a Mawon, em parceria com a CCIFB-RJ e empresas associadas, com o apoio do Comitê G20 da Prefeitura do Rio de Janeiro, promoverá uma edição especial do workshop Mural do Clima. 

A iniciativa busca capacitar e conscientizar, por meio de uma oficina lúdica e colaborativa, mais de 1.000 participantes sobre as mudanças climáticas e seus impactos. A metodologia do Mural do Clima (Fresque do Climat) foi criada na França, e conta com aplicação em mais de150 países, impactando 1,4 milhão de pessoas. 

O workshop está programado para acontecer ao ar livre, na praça Mauá, centro do Rio de Janeiro, e assim promover uma integração direta do espaço urbano e as  paisagens naturais da cidade. Outro diferencial é a equipe facilitadora, que será formada por pessoas atravessadas pela experiência de refúgio ou migração. 

A Mawon é uma organização fundada em 2012, que atua para promover direitos e auxiliar na integração socioeconômica de migrantes e refugiados.