São Paulo Entrevistas

Pedro Prádanos, CEO da Veolia Brasil, fala sobre os projetos sustentáveis desenvolvidos no Grupo

Presente no Brasil há mais de 20 anos, o Grupo Veolia desenvolve e oferece soluções inovadoras para atender urgências mundiais que afetam à sociedade, à economia e ao meio ambiente: descarbonização, despoluição e reaproveitamento dos recursos naturais. “Somos uma companhia ESG, com um forte propósito de transformação ecológica, o que norteia todas as nossas ações”, conta Pedro Prádanos, CEO da Veolia Brasil.

A multinacional francesa tem a sustentabilidade inserida em seus negócios. Após anos de pesquisas, a Veolia iniciou o projeto de valorização do biogás gerado a partir da decomposição da matéria orgânica disposta nos Centros de Gerenciamento de Resíduos (CGR). A primeira termelétrica foi inaugurada em 2021, no CGR de Iperó, localizado região metropolitana de Sorocaba. Atualmente, o Grupo conta com três plantas em operação no país, sendo duas em São Paulo (CGR SP e CGR Iperó) e uma em Santa Catarina (CGR Biguaçu). “Com a instalação dessas plantas, a Veolia contribui não somente com a matriz energética brasileira, mas também com a redução dos gases do efeito estufa”, explica Pedro.

A valorização do biogás e a queima controlada de gases do efeito estufa (procedimentos realizados pela Veolia) evitaram a emissão de aproximadamente 60 mil toneladas de metano na atmosfera em 2022, o que equivale a 1,5 milhão de toneladas de CO2. A ação faz parte do projeto Energia Circular. O CEO afirma que: “A Veolia aposta na valorização do biogás para aumentar sua oferta de energia limpa e reduzir as emissões de GEE, em linha com seu propósito de promover a Transformação Ecológica ao redor do mundo, colocando a ecologia no centro de todos os seus processos, análises e decisões”.

Além da valorização do biogás, a Veolia Brasil apresenta uma série de projetos destinados a área de sustentabilidade, como o plano de descarbonização, que visa reduzir em 30% os gases de efeito estufa nas operações até 2032. Esse mesmo plano também é oferecido aos clientes e, somente em 2022, reduziu a emissão de mais de 14 milhões de toneladas de CO2 e evitou o uso de mais de 300 milhões de metros cúbicos de água.

A companhia também desenvolve e opera projetos energéticos através da utilização de biomassa, que substitui os combustíveis fósseis. Dois exemplos dessa utilização citados pelo CEO são: a produção de vapor para a planta da Braskem em Alagoas, através da biomassa plantada especificamente como cultivo energético, resíduos de outros cultivos, como a casca de coco, ou resíduos industriais, em substituição ao gás natural; e o projeto de cogeração com a Camil, no sul do país, onde geram energia térmica e elétrica através do resíduo da casca do arroz, em um processo de economia circular.

Pedro Prádanos acredita que: “Seremos prósperos e bem-sucedidos, somente se conseguirmos gerar valor para todos os nossos stakeholders. Baseamos nossa estratégia e nossos projetos com uma visão  multifacetada, que mede indicadores alinhados com os ODS e que estão alocados em 5 campos de geração de valor, onde cada um representa um grupo de interesse: clientes, investidores, colaboradores, comunidade e planeta”.