5 iniciativas da L’Oréal para respeitar os limites do planeta

Inovação sustentável, transporte verde, Jardim Filtrante, engajamento dos fornecedores e regeneração do ecossistema são algumas das ações da empresa

 

Em meio a um contexto de crescentes desafios ambientais e sociais, a L’Oréal está acelerando a transformação do seu negócio para respeitar os limites do planeta. Mas você sabe o que são limites planetários? Na prática, eles se referem a fronteiras ambientais seguras dentro das quais a humanidade pode se desenvolver – manter os recursos naturais, como água e biodiversidade, e as temperaturas do planeta. 

“Do jeito que vivemos hoje, até 2050, precisaríamos de três planetas para sustentar as nossas necessidades. Chegamos em um caminho sem volta, onde estamos perto de atingir os limites do planeta. Ainda assim, precisamos lembrar que o planeta não precisa da gente, nós é que precisamos dele. Nosso planeta é mãe da humanidade, por isso, precisamos cuidar de tudo que o envolve. Nosso futuro depende disso”, diz Maya Colombani, Diretora de Sustentabilidade da L’Oréal Brasil

A L’Oréal é líder em sustentabilidade corporativa com seu programa L’Oréal Para o Futuro, e a única empresa a ter alcançado a nota máxima “triplo A” por 5 anos consecutivos em todos os temas ambientais avaliados pelo prêmio CDP: combater as mudanças climáticas, agir para proteger as florestas e garantir a segurança da água. Além disso, em 2020, a Companhia se comprometeu em agir como catalisadora de mudanças junto a seus fornecedores, ganhando também a classificação “A” da CDP em Supplier Commitment. 


1. Inovação para respeitar o planeta: 90% dos produtos com melhor perfil ambiental e social melhorado

Na L’Oréal, a biodegradabilidade e a pegada hídrica das fórmulas, o nível de sustentabilidade das embalagens, bem como a produção, o fornecimento de matérias-primas e o impacto social são atenciosamente monitorados através da ferramenta única chamada SPOT (Sustainable Product Optimization Tool). Lançada em 2015, ela é a primeira da indústria que permite identificar toda a pegada ambiental do produto, levando em conta os critérios ambientais, mas também sociais.

“Através do SPOT, 100% dos nossos produtos são avaliados e temos uma perfeita visibilidade de cada perfil de produto, assim podemos tomar as decisões a fim de ter produtos com melhor perfil de sustentabilidade. Essa ferramenta inclui critérios como biodegradabilidade das fórmulas, porcentagem de matéria-prima natural, material de embalagens, redução das embalagens, como também fornecimento de matéria-prima ou bem de insumo com impacto social positivo”, explica Maya. 

Por meio dessa inovação, em 2020, 90% dos produtos novos ou renovados da L’Oréal Brasil tiveram seu perfil ambiental ou social avaliado e melhorado. Desses, 79% dos produtos tiveram suas embalagens com perfil melhorado. Além disso, por meio dessa ferramenta, a Companhia conseguiu desenvolver fórmulas mais sustentável, por exemplo, alcançando 91% de biodegradabilidade média das fórmulas de xampu e condicionador.

 

2.  Cadeia de valor engajada contra a mudança climática: 100% de eletricidade renovável e transporte verde 

100% eletricidade renovável: a L’Oréal Brasil já trabalha com 100% de eletricidade renovável de fontes eólicas – localizado no município de Trairi, no Ceará – e solar em todas as unidades no Brasil, com uma grande parceria com o grupo Engie. Até 2025, o Grupo se compromete a ser carbono neutro em todas as suas instalações, melhorando a eficiência energética e utilizando energia 100% renovável. “No Brasil, estamos trabalhando para ser Carbono Neutro em 2021, 4 anos antes da meta do Grupo. Isso será possível graças a parceria com empresas como ENGIE, AXIS e ZEG, que compartilham do mesmo propósito de acelerar a transição para a economia de baixo carbono”, explica a Diretora.

Transporte verde: um exemplo de sinergia com fornecedores é em torno da solução do transporte verde. No Brasil, a Companhia aderiu recentemente a uma solução de transporte verde, com os primeiros caminhões do país abastecidos a biometano, através de uma parceria dos fornecedores Jomed e RN Express com a Scania. Na L’Oréal, até 2030, a meta é reduzir as emissões de gases de efeito de estufa ligadas ao transporte dos produtos em 50% – em média e por produto final, comparativamente a 2016. 


3. Cadeia de valor em prol da conservação da água: missão zero desperdício com a Fábrica Seca e Jardim Filtrante

Missão Fábrica seca: entre 2005 e 2020, a L’Oréal Brasil reduziu em 26% o seu consumo de água ligado a produção de seus produtos, mas ainda tem a ambição que vai muito além: a missão de fábrica seca. Esse projeto tem como objetivo atingir o desperdício zero de água – o padrão ‘circuito fechado’ – no processo de fabricação em São Paulo, até 2023 – 7 anos antes da meta internacional do Grupo. “Na prática, significa dizer que toda a água consumida pela fábrica será proveniente de reuso – exceto a água contida nos produtos e a água usada para consumo humano”, explica Maya.

Jardim Filtrante: ainda por conta dos seus esforços pela conservação da água, em 2017, a L’Oréal Brasil recebeu o prêmio internacional Green Solution Awards pelo projeto Jardim Filtrante, desenvolvido em parceria com a Phytorestore Brasil. Instalado no Centro de Pesquisa & Inovação da Companhia, no Rio de Janeiro, o Jardim Filtrante trata águas pluviais e os resíduos industriais e sanitários de forma natural e reutiliza os líquidos para irrigação e reuso nos banheiros. A iniciativa já representa uma redução no consumo de água de cerca de 40%. 

Gjosa: já para criação de soluções exclusivas de economia de água, a L’Oréal investiu na startup Gjosa. Na prática, as duas empresas trabalham juntas desde 2015 para otimizar tecnologias de enxágue de xampu com o objetivo de economizar água. Em 2018, elas anunciaram o desenvolvimento de um chuveiro capaz de enxaguar o shampoo com 1,5 litro de água (em vez dos 8 normalmente usados). Já em 2021, as empresas apresentaram o L’Oréal Water Saver, um dispositivo sustentável para o salão de beleza que permite reduzir o consumo de água e o desperdício energético em até 80% durante a lavagem dos fios.


4. Empoderar o ecossistema: envolvimento de parceiros fornecedores e consumidores 

“Como líder mundial da beleza, nós temos a responsabilidade de transformar não só a nossa cadeia de valor mas, também, de agir como um catalisador de mudanças com o nosso ecossistema, quer seja os nossos fornecedores, nossos consumidores, outras empresas e outras instituições”, declarou Maya Colombani.

Esse esforço em empoderar o ecossistema, por sinal, não é apenas uma meta para o futuro: em 2020, a L’Oréal Brasil teve seus fornecedores estratégicos avaliados e selecionados com base em seu desempenho ambiental e social. Como resultado, a Companhia ganhou classificação “A” da CDP em Supplier Commitment. 

Alinhado a isso, até 2030, a Companhia se compromete que 100% dos colaboradores de fornecedores estratégicos receberão rendimento digno (living wage) que cubra as necessidades básicas dos próprios e de seus dependentes. “Apoiaremos a mais 100 mil pessoas em vulnerabilidade com acesso a emprego, e programas sociais de nossas marcas beneficiarão 3 milhões de pessoas com acesso a água, educação e formação vocacional”, explica.

5. 100 milhões de euros em prol da economia circular e da regeneração do ecossistema 

Investimento na regeneração de ecossistemas: com o novo compromisso de sustentabilidade L’Oréal Para o Futuro, lançado no ano passado, o Grupo L’Oréal vai investir 150 milhões de euros para projetos relacionados às questões sociais e ambientais, como proteção do meio ambiente e apoio a mulheres vulneráveis em todo o mundo. Desse total, 50 milhões de euros serão destinados para o financiamento de projetos de regeneração de ecossistemas florestais e marinhos.

Parceria com startup Carbios em prol da economia circular: a fim de abraçar o grande desafio da circularidade e da reciclagem do plástico, a L’Oréal investiu na startup francesa ‘Carbios’, uma empresa de biotecnologia que oferece uma inovação disruptiva para a reciclagem do plástico através da ação enzimática de organismos. 

Na prática, a Carbios utiliza enzimas para reciclar plásticos usados na confecção de embalagens de cosméticos, gerando um PET reciclado com qualidade equivalente ao PET virgem, possibilitando a substituição do plástico comum por uma versão mais sustentável. Além disso, a L’Oréal irá investir 50 milhões de euros para economia circular, em soluções de reciclagem disruptivas e em inovação para o presente e o futuro.

“A beleza do futuro é ir além do produto, construir um amanhã desejável para a humanidade. A beleza do futuro vai ser sustentável, inclusiva e natural, e quem vai fazer isso é cada um de nós, juntos. Protagonismo é aqui e agora – se quisemos ter um amanhã melhor”, finalizou Maya.

 

^