A melhor aposta para as marcas é a internet

Com 1 bilhão de usuários, Instagram é a rede social que veio para transformar a economia do luxo

Segundo dados divulgados pelo próprio Instagram, a rede social reúne mais de 1 bilhão de usuários e 85% deles seguem um perfil comercial. O Brasil ocupa a segunda posição, ficando atrás apenas dos EUA. Não é à toa que para o especialista Frederic Parlon, CEO da Royal Limoges Porcelanas, a internet já está transformando a economia do luxo no mundo.

O especialista foi o convidado da comissão Mercado do Luxo da Câmara de Comércio Internacional França-Brasil (CCIFB-SP), no dia 29 de novembro, em São Paulo. O último encontro do grupo foi com Renato Ortiz, professor-titular de sociologia da Unicamp, autor do livro “O universo do luxo”.

Segundo Parlon, as marcas que achavam que poderiam perder a identidade ou mesmo a tradição pelo advento da internet tiveram que mudar o mindset. Ressaltou que o Instagram é hoje a mídia social que mais contribui para o aumento do engajamento e das vendas das marcas de luxo tradicionais e o crescimento das pequenas marcas de luxo por não exigir um investimento alto para criação e gestão.

Atualmente, cerca de 40% das venda da Royal Limoges Porcelanas vem dos EUA por meio do aluguel das peças para festas e eventos. Parlon também ressaltou que São Paulo ocupa no momento a primeira posição de destino de vendas da companhia. Já o Brasil ocupa o terceiro lugar no mundo entre os principais consumidores das porcelanas.

Parlon também acredita que para criar desejo e encantamento por um produto é importante investir em inovação e até mesmo quebrar os códigos do luxo. A alta qualidade é a única coisa que não pode se perder durante um processo de crescimento efetivo. Segundo ele, ao longo da história do luxo na França, muitas marcas passaram por dificuldades por ter perdido a qualidade em um determinado momento.

^