As quatro características da mente humana poderosa

A mente humana possui 100 bilhões de neurônios e 100 trilhões de conexões. Apesar do ser humano usar quase todo o potencial do cérebro, apenas 10% é utilizado para a parte cognitiva. A neurociência cuida em fazer com que as pessoas consigam expandir esse setor da capacidade cerebral.

O mágico e mentalista Wagner Messa foi o convidado da Comissão de Saúde da Câmara de Comércio Internacional França-Brasil de São Paulo (CCIFB-SP), no dia 13 de agosto, para tratar da neurociência. Com uma carreira de 25 anos de executivo na indústria farmacêutica, Messa acredita que o comportamento é uma peça-chave da gestão e dos negócios.

Messa cita o exemplo de pessoas de alto desempenho, como o afegão capaz de jogar 600 partidas de xadrez ao mesmo tempo, o holandês que resolve o cubo mágico em apenas quarto segundos e  o norte-americano que consegue memorizar uma ordem específica com todas as cartas do baralho em apenas  21 segundos.

Messa fala sobre as características da mente humana poderosa

Segundo Messa, as características comuns de uma mente poderosa se resumem a quatro pontos. Em primeiro lugar, a “Positividade”, ou seja, a capacidade de manter o otimismo frente ao próprio potencial seja qual for o cenário. Na frase de Stephen Hawking: “devemos tirar o melhor possível da situação em que nos encontramos”.

Em segundo lugar, o “Propósito”. A mente deve ter clareza, consciência e acompanhamento para atingir um objetivo específico. Na frase de Lewis Carroll: “se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”. Em terceiro lugar, a “Perseverança”. Usar o esforço, a dedicação e a resiliência para manter a determinação. Na frase de Thomas Edison: “A genialidade é 1% de inspiração e 99% de transpiração”.

Por fim, as “Pessoas”. A capacidade de relacionamento é fundamental para o desenvolvimento da mente, bem como do sucesso no meio social. Deve-se usar a experiência e a humildade para manter a empatia. Na frase de Carlos Drummond de Andrade: “ninguém é igual a ningém; todo ser humano é um estranho ímpar”.

^