Brasil e México ocupam topo da blacklist de destinos procurados para o turismo de luxo

Umas das principais perguntas hoje sobre a retomada do turismo no pós-pandemia é se haverá mudança de hábito dos viajantes e quais serão essas possíveis mudanças. De acordo com Gabriela Figueiredo, diretora de viagens da Matueté, uma das principais produtoras de viagens personalizadas do Brasil, entre as tendências estão: menor volume de viagens, com maior tempo de duração, menos deslocamento, menos experiência com pessoas locais e queda das viagens multidestinos. 

Gabriela também destacou que Brasil e México ocupam o topo da blacklist entre os destinos procurados pelo turista de luxo. Segundo ela, os dois países são reconhecidos por não lidarem de forma correta com a pandemia. Os destinos remotos, com pouca densidade e muita natureza como, por exemplo, a Patagônia, e destinos com limitação de visitantes, acesso independente, ilhas e uma vida outdoor, como a Islândia, estarão em alta, sinalizou. Gabriela e Ana Benavente participaram de live, realizada no dia 9 de julho, pela comissão do Luxo da Câmara de Comércio Franca-Brasil (CCIFB-SP). Para ler o debate do último encontro, sobre transformação digital no setor do luxo, clique aqui. 

Segundo Ana Benavente, diretora Executiva da Air Charter Service South America, desde o início da pandemia, a empresa focou no atendimento de clientes que precisavam voltar para os seus países. Ana indicou o atendimento de cerca de 20 mil passageiros que se encontravam nessa situação. Ana também sinalizou que o impacto do COVID-19 no setor aéreo é grande. Segundo ela, no início de março cerca de 100% da frota mundial estava em solo. Hoje, acerca de 80%. 

Diante desse cenário, Ana enfatizou as vantagens do fretamento de aeronaves que proporcionam ao cliente a possibilidade de chegar a destinos isolados e remotos sem precisar de conexões. A especialista destacou, ainda, que o passageiro de luxo não está querendo viajar no momento. Segundo ela, ainda há muita insegurança e medo. Ana sinalizou que há uma estimativa de retomada dos destinos de luxo para o final do ano.

^