CCIFB-RJ junta-se a Team Norway e parceiros em evento sobre diversidade e inclusão nas empresas

Iniciativa lançou guia de boas práticas e contou com painel moderado pela Diretora-executiva, Jaqueline Saad, e a participação de Erika Zoeller, Diversity & Culture da ENGIE Brasil

 

A diversidade como ação e impacto nos negócios foi tema do seminário organizado pelo Team Norway (Embaixada da Noruega em Brasília, Consulado Geral da Noruega no Rio de Janeiro e Innovation Norway) nos dias 30 de setembro e 01 de outubro. A iniciativa teve apoio dos parceiros ONU Mulheres Brasil, por meio do Programa Ganha-Ganha, Promundo Brasil, Pacto Global, Câmara de Comércio Noruega-Brasil e a Câmara de Comércio França-Brasil. O evento celebrou o lançamento do guia “Diversidade em Ação – Caderno de boas práticas para empresas Norueguesas no Brasil”, e promoveu painéis de debate sobre tópicos relativos à inclusão, como igualdade racial e gênero, compromissos internacionais, ambições no longo prazo, e paternidade. A Diretora-executiva da CCIFB-RJ, Jaqueline Saad, moderou o painel “Casos de sucesso – experiências das empresas: ambições de longo prazo”, com a participação de Erika Zoeller, Diversity & Culture da ENGIE Brasil, e de Edson Lopes, Senior HR Leadership Development | Inclusion and Diversity da Yara Brasil.

“Ao longo dos últimos anos, a Câmara construiu uma parceria estruturante com a ONU Mulheres e o Programa Ganha-Ganha, com foco em ações conjuntas de promoção dos Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs) e boas práticas de inclusão e diversidade. Dezenas de empresas associadas em diferentes regionais são signatárias dos WEPs no Brasil, e esperamos que mais membros se engajem nessa dinâmica. Iniciativas como este evento do Team Norway ampliam esse debate e a importância da promoção de ações nesse contexto”, ressaltou Jaqueline Saad, Diretora-executiva da CCIFB-RJ.

Dentro do cenário de desafios para promoção da inclusão e diversidade, Erika Zoeller, Diversity & Culture da ENGIE Brasil, destacou a importância de se ampliar as percepções sobre realidades a nossa volta. O Grupo atualmente desenvolve ações e programas a partir da meta de ter globalmente, até 2030, 50% dos cargos de liderança da empresa ocupados por mulheres.

“Estamos em uma fase de sensibilização com intuito de trabalhar como podemos ampliar nossa diversidade de pensamento, ou seja, buscamos sensibilizar, despertar, entender as razões pelas quais nossas metas existem e reconhecer alguns pontos-chave dentro da organização no que diz respeito aos estereótipos e à liderança inclusiva. Com isso, buscamos, entre outras ações, promover a escuta ativa com colaboradores para gerar confiança e engajamento”, explicou.

Em dezembro de 2019, a ENGIE Brasil aderiu aos WEPs em evento que contou com a participação e apoio da CCI França-Brasil. A adesão representou o comprometimento de longo prazo do Grupo para fortalecer a diversidade como um valor compartilhado pela companhia.

Também signatária dos WEPs, desde novembro de 2019, a Yara Brasil mantém o compromisso de chegar a 25% de mulheres em todos os cargos de lideranças até 2030. Hoje a empresa possui 20% desse efetivo.

 

Guia orienta boas práticas para diversidade nas empresas

Com objetivo de aprimorar as ações de diversidade e igualdade de gênero nas empresas e mostrar ferramentas para aplicação de programas, o guia “Diversidade em Ação – Caderno de boas práticas para empresas Norueguesas no Brasil” é uma publicação organizada pelo Team Norway a partir de pesquisas realizadas de março a junho deste ano com companhias de origem norueguesa instaladas no país. De acordo com Pilar Neves, gerente de Projetos da Innovation Norway América do Sul, o material fornece um retrato de como estas organizações estão atuando no contexto da diversidade, fornecendo instrumentos para ampliar práticas.

Para ela, uma das formas de ampliação de impactos nas empresas ocorre também pela cooperação. “É importante a troca de experiências sobre práticas a partir de países como Noruega, Canadá e França, que estão mais avançados em políticas de igualdade de gênero. Hoje é mais do que fundamental tratarmos a diversidade como colaboração, pois aprendendo um com os outros vamos conseguir melhorar a nossa própria realidade no Brasil”, pontuou.

As próximas etapas do guia incluem lançar uma metodologia de implementação das práticas mapeadas por meio de um curso dividido em três módulos, voltado para empresas norueguesas em diferentes estágios na promoção da diversidade e igualdade de gênero.

^