Cinco lições de Bernardinho para um time de sucesso

O esporte é um trabalho exclusivo com pessoas. Para ter uma cultura de excelência é fundamental entender que a excelência é algo móvel no esporte e nas organizações. A excelência se move de acordo com os avanços e as mudanças sociais e econômicas. As afirmações são de Bernardo Rocha de Rezende, conhecido como Bernardinho, um dos maiores campeões da história do voleibol, durante live do Canal Aberto da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), no dia 4 de maio. O último encontro, contou com a participação de Otaviano Canuto sobre o pacote Biden e por der lido aqui.

 

Confira mais cinco lições do técnico para as empresas criarem times de sucesso.

 

1º Passo: é preciso ter paixão.

Segundo Bernardinho, os profissionais precisam ter paixão pelo que fazem para poder ter força e garra para superar os desafios e adversidades. Para ele, é importante gostar do processo, do aprendizado e do dia-a-dia.

 

2º Passo: é preciso ter necessidade.

De acordo com Bernardinho, a necessidade de conquistar um objetivo e de superar os limites pode fazer toda a diferença para uma pessoa, principalmente se esse profissional ocupar um cargo de liderança.

 

3º Passo: é preciso ter consciência de time.

O time nada mais é, segundo Bernardinho, uma consciência coletiva, um esforço coletivo em prol de um objetivo comum. Para ele, o líder nesse contexto assume o papel de guardião dos valores antes de qualquer coisa.

 

4º Passo: é preciso construir uma cultura.

Integridade é a base essencial na construção de uma cultura de excelência. De acordo com Bernardinho, mesmo diante de uma decisão difícil, um líder íntegro e justo terá o apoio da equipe.

 

5º Passo: é preciso ter treinamento extremo.

É fundamental dedicar o máximo de energia em prol do time. Nesse contexto, Bernardinho também destacou a importância da resiliência (saber lidar com os “nãos”) e do protagonismo (assumir os atos e aprender com os erros). O técnico também indicou os livros: “Arrume a sua cama” e “O ego é seu inimigo”.

^