Como a Inteligência Artificial pode ajudar na gestão tributária

De acordo com dados do último relatório, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) viabilizou em 2019 a recuperação de R$ 23,4 bilhões aos cofres públicos e aos FGTs, em decorrência do aprimoramento das estratégias de cobrança desenvolvidas pela procuradoria. Segundo a recuperação por Classificação Nacional de Atividades Econômicas, as indústrias de transformação representam 39,21%, comércio 13,94% e indústrias extrativas 5,71%. 

Os dados foram apresentados por Geraldo Valentim Neto, sócio coordenador da área Tributária do Madeira, Valentim & Gallardo Advogados, durante o webinar realizado pelas comissões Jurídica e Tributária da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), no dia 23 de abril. Segundo ele, a instituição de novos mecanismos para a imputação de responsabilidade tributária a terceiros exige um alinhamento constante entre os departamentos jurídico, fiscal e financeiro das empresas em relação aos possíveis impactos às atividades empresariais. 

Neto também recomendou a conscientização dos diretores e gestores para os impactos dos novos mecanismos instituídos pela PGFN e RFB, o estabelecimento de políticas internas para um controle efetivo dos débitos e das situações fiscais e o mapeamento auditorado dos processos administrativos federais das execuções fiscais federais.

Já o especialista Renato Kim Panelli, gestor comercial na Kamai Inteligência Artificial & Deep Learning, ressaltou que as ferramentas baseadas em Inteligência Artificial (IA), possuem o poder de predição e podem prever como as mudanças nas políticas tributárias afetarão a economia, dando apoio à tomada de decisão. Segundo ele, esses modeladores de previsão podem ajudar a tomar decisões orientada para coisas, como por exemplo, metas ambientais, incentivar a inovação, proteger a agricultura local, detectar fraudes e etc.

Elizabeth Martos, coordenadora do MBA Gestão Tributária Trevisan Escola de Negócios, enfatizou a importância da capacitação e formação de profissionais para atuarem com o avanço das tecnologias e com a inteligência artificial. Segundo ela, as habilidades e capacidades também mudarão, exigindo mais habilidades emocionais e capacidades cognitivas mais avançadas. A escola de negócios disponibilizou, on-line e gratuito, quatro de seus cursos da grade executiva: Liderança e Inovação em Economia Digital, Aplicações de Data Analytics (business analytics), Contabilidade e Gestão de Custos e Compliance, Ética Corporativa e Prevenção a Fraudes. Acesse: https://bit.ly/2vFMATO

^