Encontro com representante da ONU Mulheres busca desenvolver parceria para promoção da diversidade nas empresas

A diversidade como motor de desenvolvimento sustentável e impacto positivo nos negócios integra um dos pilares de atuação da CCI França-Brasil.  Parcerias e a aproximação com redes de cooperação para realizar inciativas que promovam o debate, e estimulem projetos em torno dessa temática, têm sido frequentes na agenda de eventos e nos encontros promovidos pela instituição.

No mês de setembro, a diretora-executiva da CCIFB do Rio de Janeiro, Jaqueline Saad, participou de um encontro com a representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman, em Brasília, com objetivo de desenvolver parcerias para ações em conjunto. Uma delas é focada no Programa Ganha-Ganha: Igualdade de gênero significa bons negócios, projeto da ONU Mulheres em cooperação com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a União Europeia (UE) para a promoção da equidade de gênero no setor empresarial.  Para aderir, as empresas são incentivadas a assinar a Declaração de Apoio de CEOs aos WEPs (sigla em inglês para Princípios de Empoderamento). Por meio das ferramentas viabilizadas pelos WEPs, as organizações podem avaliar suas políticas e programas para, então, desenvolver um plano de ação que integre a perspectiva de igualdade de gênero.

“Uma das primeiras ações mapeadas em conjunto é a oportunidade de promover junto a nossas empresas associadas um encontro para conhecer os sete WEPs, seus benefícios, indicadores de resultado e processos disponibilizados pela ONU Mulheres para se tornar signatário no Brasil”, explica Jaqueline Saad.

Outro programa que também está sendo estudado para o desdobramento de ações em cooperação é o Cidade 50-50: Todas e Todos pela Igualdade, que tem o objetivo de incentivar o debate sobre a igualdade de direitos entre mulheres e homens na participação de processos  que incentivem o protagonismo feminino na construção de políticas públicas em prol de cidades sustentáveis – outro tema-chave na agenda da Câmara. “Em 2018, tivemos a primeira edição de nosso encontro Cidades do Amanhã, com foco na troca de experiências e boas práticas de parceria público-privada para projetos de infraestrutura. Juntamente com nossas empresas, ONU Mulheres, gestoras e gestores públicos, avaliaremos a oportunidade de estruturar uma edição, em 2019, em sinergia com a promoção da diversidade”, propõe Jaqueline.

De acordo com o Instituto Global McKinsey, se as mulheres desempenhassem o mesmo papel dos homens no mercado, quase US$ 28 trilhões – ou 26% – poderiam ser adicionados ao PIB global antes de 2025.

Rio de Janeiro

^