Mercado do luxo: o novo papel da comunicação e dos consumidores

De acordo com André Cauduro D’Angelo, a indústria do luxo será impactada por quatro elementos essenciais: financeiro (renda), vida social, experiência e o ato de ir às compras. O autor do livro “Precisar, não precisa: um olhar sobre o consumo de luxo no Brasil”, e a especialista Juliette Granon, Relações Públicas das revistas ELLE, Air France Madame, ELLE Décoration e Art & Décoration, participaram do webinar da comissão do Luxo, da Câmara de Comércio França-Brasil, realizada no dia 14 de maio. O último encontro debateu como o líder que atua no mercado de luxo pode fazer a diferença e pode ser lido aqui.

Os especialistas são unanimes em relação ao avanço do digital durante a pandemia e no pós-pandemia. Segundo D’Angelo, o novo consumidor vai buscar bens de luxo privado, como por exemplo, um equipamento tecnológico melhor, uma reforma na casa e decoração. Desse modo, segundo ele, cresce a importância do vendedor que conhece os costumes do cliente para poder fazer um contato mais próximo. Ressaltou, ainda, que vão crescer as experiências possíveis.

Já Juliette, ressaltou o novo papel do luxo resgatando a valorização da beleza, da poesia, do solidário, do ético e do espiritual. As marcas terão de investir em mensagens positivas e de cuidado com o ser humano e com a natureza. O desafio, segundo ela, é a moda encontrar esse caminho de transição para engajar e fidelizar os consumidores. Serão criados novos formatos para os grandes eventos e desfiles nos próximos dois anos. A especialista afirmou que vão surgir eventos para uma audiência menor, mas com grande impacto.

^