Executivas de sucesso apontam mudanças no mercado do Luxo

Como pensar no futuro do mercado do luxo a partir das novas experiências de beleza, de moda e de entretenimento que o consumidor deseja ter no mundo pós-pandemia? A comissão do Luxo da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP) convidou três executivas com trajetória de sucesso para compartilhar os novos caminhos e desafios das marcas, durante live realizada no dia 29 de setembro. O último encontro da comissão contou com a presença da autora Clotilde Perez que falou sobre o seu mais novo livro “Há limites para o consumo?” e pode ser lido aqui.

 

De acordo com Rosângela Barchetta, diretora executiva e sócia proprietária da rede Studio W Cabeleireiros, durante a pandemia, as marcas tiveram que adotar um novo posicionamento, focando em ações de solidariedade e de sustentabilidade. Segundo ela, o segmento de beleza foi muito afetado com os estabelecimentos fechados. Para fazer a diferença, a especialista destacou a criação do protocolo de segurança para salões, os cursos oferecidos nas mais diversas áreas do conhecimento para os colaboradores e a criação de um atendimento personalizado em casa para os clientes.

 

Para Jessia Lobo, executiva com atuação no desenho e implementação de marcas globais no Brasil e CEO da JL Óculos de Luxo, o trabalho personalizado online tem feito toda a diferença para a marca. Segundo ela, a cliente hoje quer saber de forma rápida e precisa as especificidades de um determinado produto. Ressaltou, ainda, que a exclusividade, a flexibilidade e pontualidade de entrega e o conhecimento profundo do cliente podem fazer toda a diferença na qualidade e na efetividade da experiência oferecida pela marca.

 

A mudança física de muitas pessoas durante a pandemia para casas de praia ou de montanha foi apontada por Elen Leirner, especialista no desenvolvimento de acessórios para grandes marcas de luxo nacionais e internacionais, como também uma mudança de hábito e de compra. Segundo ela, houve um aumento de procura por produtos confortáveis, práticos, personificados e elaborados por artesãos. Para Elen, que atuou na implantação de uma marca brasileira nos Emirados Árabes e nos Estados Unidos, é essencial ter conhecimento da cadeia de produção, valorizar a mão de obra local e se aperfeiçoar sempre.

^