Investimento Estrangeiro Direto no Brasil: França lidera ranking

A globalização e a internacionalização financeira mundial trouxeram uma possibilidade muito interessante do ponto de vista econômico e financeiro. Trata-se do chamado Investimento Estrangeiro Direto (IED).

O Investimento Estrangeiro Direto é a aplicação de recursos financeiros em uma companhia ou negócio específico. Esses investimentos podem ser feitos por um indivíduo ou empresa de outro país.

Em geral, esse investimento direto tem como objetivo o crescimento do empreendimento que recebe este aporte.

Benefícios do Investimento Estrangeiro Direto

Apesar de ser um termo pouco conhecido, o Investimento Estrangeiro Direto é muito frequente no Brasil.

Na prática, o Investimento Estrangeiro Direto são movimentações com capitais internacionais. Essas movimentações, no entanto, necessitam direcionamento para diversos investimentos.

Unir empresas de diferentes países, construir novas instalações e aplicar lucros obtidos no exterior, são alguns exemplos de direcionamento do Investimento Estrangeiro Direto.

Para o Banco Mundial, esse tipo de investimento estrangeiro proporciona uma série de vantagens, como geração de novos empregos e origem de financiamento externo. Além disso, proporciona transferências de tecnologias, desenvolvimento e capacidades técnicas.

Assim, o Investimento Estrangeiro Direto faz-se fundamental para a evolução de uma empresa em termos internacionais.

França é destaque em valores no Investimento Estrangeiro Direto brasileiro no segundo trimestre

Uma recente análise revelou que a França lidera o primeiro lugar no ranking de investimento estrangeiro direto no Brasil no segundo trimestre do ano.

De acordo com o Boletim de Investimentos Estrangeiros – Países Selecionados, publicação da Câmara de Comércio Exterior (Camex), foram mais de US$ 8,6 bilhões (R$ 35,6 bilhões) de investimentos no Brasil no período.

Para o levantamento, registrado pelo Ministério da Economia , alguns dados foram levados em consideração, como fusões e aquisições, construção de novas instalações, reinvestimento de lucros e empréstimos.

Assim, os países que lideram o ranking de Investimento Estrangeiro Direto no Brasil são: França, Itália (US$ 4,2 bilhões), Japão (US$ 2 bilhões), China (US$ 213 milhões) e Estados Unidos (US$ 131 milhões).

Projetos de Investimento Estrangeiro Direto  no Brasil

No segundo trimestre de 2019, foram confirmados 28 investimentos no país, com valor aproximado de US$ 15 bilhões. 15 projetos, no entanto serão realizados em São Paulo. Esse número representa mais da metade dos investimentos confirmados.

Em Minas Gerais, houve a confirmação de 2 projetos. Bahia, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina foram destinos de 1 projeto cada. 3 projetos foram confirmados em mais de um Estado e 2 projetos não tiveram a divulgação do Estado de destino.

A França confirmou o total de 6 projetos. O país, no entanto, ficou atrás apenas do Japão e dos Estados Unidos, com 7 projetos cada.

CCI França-Brasil comemora investimento francês no Brasil

Fundada há 119 anos e reunindo mais de 800 associadas, entre empresas francesas e brasileiras, a  Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB) comemora o investimento francês no país.

A CCIFB visa estreitar relações entre a França e o Brasil. Como por exemplo, as relações econômicas, financeiras, comerciais, industriais, científicas e culturais.

Em entrevista para o Jornal O Globo, Sandrine Ferdane, presidente da Câmara de Comércio entre os dois países, ressalta que a França tem forte presença no país. Segundo a presidente da Câmara de Comércio, existem no Brasil 800 empresas francesas, que dão empregos a cerca de 500 mil pessoas.

As empresas francesas se sentem brasileiras e são as que mais empregam no país”, afirma Sandrine Ferdane.

O vice-presidente da Câmara de Comércio França-Brasil, Octavio de Barros, também ressalta o  interesse das empresas francesas pelo Brasil. De acordo com Barros, a parceria é diversificada e inclui setores como varejista, construção civil, óleo e gás, medicamentos, hotelaria e infraestruturas.

“As empresas francesas já são hoje as maiores empregadoras estrangeiras no Brasil. Além disso, são as maiores pagadoras de tributos no Estado de São Paulo”, diz o vice-presidente da CCI França-Brasil.

Já de acordo com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, existem hoje 890 empresas com ao menos 10% de capital acionário francês instaladas no Brasil. Outro dado relevante é que o estoque de investimentos franceses no Brasil está estimado em US$ 29 bilhões, incluindo setores como comércio varejista, eletricidade, telecomunicações, alimentos e outros.

Esses dados indicam que a relação comercial entre Brasil e França é sólida e conta com um grande potencial de crescimento.

^