Ações para criar estratégias inovadoras em um mundo competitivo

De acordo com o João Roncati, CEO da People Strategy Consultoria Empresarial Ltda, o conceito deestratégia tem se aproximado novamente ao usado pelo general de guerra Sun Tzu de que a estratégia é a arte militar de escolher onde e com quem travar a batalha. Roncati participou de live da comissão Mundo do Trabalho, no dia 15 de junho. O último encontro debateu como apoiar o equilíbrio emocional dos colaboradores sob pressão. Veja aqui.

Para Roncati, as organizações precisam olhar a estratégia como uma escolha e não como uma ação. Segundo ele, a estratégia faz parte de um plano de escolha, ou seja, um conjunto de decisões que vão construir o posicionamento da empresa no (macro) ambiente. O especialista destacou, ainda, que o posicionamento deverá ser expresso em comportamentos como forma explícita e implícita de orientações em todas as ações.

Sobre o estímulo de ambientes inovadores, Roncati afirmou que a inovação precisa ser estimulada por meio de ações como: cultivar o pensamento divergente, fomentar recursos e tempo dedicados e estimular o desenvolvimento de processos contínuos de cultivo e desenvolvimento de ideias criativas. De acordo com o especialista, a estratégia e a inovação estão interligadas, pois a inovação deve gerar um valor diferenciador para a organização e, por isso, é estratégico.

Roncati enfatizou, ainda, algumas ações essenciais: escuta ativa, entender o outro, reconhecer os pontos de vista, visão macro, promover trabalhos em equipe, tolerar erros, dar oportunidade para todos, estar sempre interessado em olhar os diferentes pontos. Para ampliar a percepção da realidade, o especialista destacou as necessidades de: não julgar, experimentar novas emoções, perguntar e experimentar.

^