CEOS da Schneider Electric e da Atos ensinam sobre liderança na crise

Transparência na comunicação e esforço contínuo de manutenção da proximidade em tempos de interação virtual devem ser um mantra para qualquer liderança em tempos de trabalho remoto.

O cenário de crise sanitária e econômica desafia o foco e exige clareza nas atitudes e resposta ágil dos negócios, segundo presidentes de empresas multinacionais.

Em entrevista à VOCÊ S/A, os executivos que lideram gigantes como Schneider Electric e Atos, ambas associadas à CCIFB, toparam dividir aprendizados e lições de liderança em um momento tão complexo como o atual.

 

Executivos que lideram gigantes como Schneider Electric e Atos compartilham aprendizados e lições de liderança durante crise do novo coronavírus.

Marcos Matias, presidente da Schneider Electric no Brasil

Otimista mesmo em momentos de crise, Marcos tem olhado com cuidado para o avanço nas interações humanas mediadas pela tecnologia. O executivo compartilha duas dicas de liderança que considera válidas no mundo pós-pandemia: confiança e valorização da diversidade.

“Estamos distantes fisicamente e ‘não estar ao alcance dos olhos’, em um primeiro momento, traz estranheza e desconfiança. Quase três meses seguidos de home office depois, fica claro: precisamos confiar, cada vez mais, uns nos outros”.

De partida, diz o executivo, ele confia e suas ações elevam o grau de confiança da equipe na sua tomada de decisão. No campo da diversidade uma das grandes conquistas da sua gestão, Marcos cita a queda definitiva dos vieses estimulados por questões físicas.

“Estando longe, fica óbvio que a roupa não importa, que o gênero não importa, que características sem impacto na performance e na energia dedicada ao trabalho não importam”, diz.

 

Executivos que lideram gigantes como Schneider Electric e Atos compartilham aprendizados e lições de liderança durante crise do novo coronavírus.

Nelson Campelo, CEO da Atos para a América do Sul

A definição de prioridades alinhadas aos valores e propósito da companhia é o primeiro passo que o líder deve dar em momentos de crise, indica o CEO da Atos no Brasil. “Como, para nós, a prioridade são as pessoas, a primeira medida foi priorizar a segurança e saúde dos nossos colaboradores”, diz Nelson.

Medidas de continuidade dos negócios vêm na sequência das ações. “Líderes precisam conseguir enxergar e atuar de forma 360º, considerando todo o entorno”. Para isso, ele indica a construção de um comitê de crise. “É possível entender a cadeia de atuação da empresa como um todo e tomar decisões assertivas”, diz.

A transparência e a proximidade também são elementos fundamentais na pauta de liderança. “ Para que o trabalho como um todo funcione, é fundamental que o líder seja acessível, independentemente da situação, e, ao mesmo tempo, direto nas interações com todas as pessoas”, diz.

Para ler a matéria completa: VOCÊ S/A

^