Eurocâmaras: como o ESG está transformando o mundo dos negócios

O Pacto Verde Europeu tem a ambição de tornar a União Europeia o primeiro continente climaticamente neutro até 2050. Trata-se de uma nova estratégia de crescimento com uma economia eficiente. Não à toa, baseia-se nos pilares energia limpa, indústria sustentável com ênfase na economia circular, reconstrução e reforma de edifícios, mobilidade sustentável, biodiversidade, “Do Campo à Mesa” e eliminação da contaminação. As afirmações são de Ignácio Ybáñez, embaixador da União Europeia no Brasil, durante live da Eurocâmaras, realizada pela Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), no dia 13 de julho.

 

De acordo com Ybáñez, a política comercial precisa contribuir para atingir os objetivos do Pacto Verde Europeu. Segundo ele, a UE não pode agir isoladamente, pois são desafios globais. O embaixador também ressaltou que conta com o Brasil para o êxito da iniciativa. Enfatizou também que o papel da inciativa privada é essencial para que haja uma retomada efetiva e consciente nos próximos anos.

 

Para Rafael Segrera, presidente da Schneider Eletric América do Sul, a COVID-19 não mudou as reais prioridades da companhia, mas acelerou a transformação digital. Diante dos desafios de avançar em conformidade com a sustentabilidade, a empresa lançou um ambicioso programa de ESG 2021-2025. Entre os seis compromissos a serem realizados a longo prazo estão as ações: reduzir as emissões de CO2 das mil maiores operações de fornecedores em 50%, incrementar conteúdo de material verde em nossos produtos para 50%, proporcionar acesso a eletricidade verde para 50 milhões de pessoas e aumentar a diversidade de gênero.

 

Ricardo Gondo, presidente da Renault do Brasil, ressaltou que possui uma política global de responsabilidade ambiental, social e de governança. Entre as ações realizadas no Brasil, o executivo destacou que todo o complexo industrial, desde 2016, é aterro zero. Segundo ele, 100% dos resíduos são reciclados ou reutilizados. Gondo também enfatizou o pioneirismo na Renault produzir em massa veículo elétricos. Já são mais de 400 mil veículos elétricos vendidos em todo o mundo. Completou 10 anos de atuação no Brasil. São mais de 800 mil pessoas beneficiadas com os projetos de inclusão e segurança. Gondo também sinalizou que a Renault foi, em 2021, a primeira montadora a aderir a iniciativa empresarial pela igualdade racial.

^