Mercado de PET avança rapidamente em ranking dos players do varejo

De acordo com o Instituto Pet Brasil (IPB) houve alta de 4,6% nas vendas de produtos voltados ao segmento pet em 2018. O faturamento foi de R$ 34,4 bilhões, ante R$ 32,9 bilhões movimentados no ano anterior. A participação do setor representa 0,36% do PIB brasileiro. Nos últimos cinco anos, o setor de acessórios e alimentos para pets cresceu 87%.

 

Os dados foram apresentados pelos especialistas Fabiano de Granville Ponce CEO da WeVets Holding SA, e Madalena Spinazzola, diretora de Planejamento Estratégico e Marketing Corporativo da PremieRpet, durante live da comissão de Comunicação e Marketing da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP), realizada no dia 26 de agosto. O último encontro abordou a geração Z nas organizações e o conteúdo completo pode ser lido aqui.

 

Para Ponce, o setor vem crescendo bastante e traz muitas oportunidades para investidores. Segundo ele, existem mais de cerca de 140 milhões de animais de companhia, dos quais 55 milhões são cães e 25 milhões são gatos. Para se destacar nesse segmento, o especialista enfatizou que uma clínica média, por exemplo, precisa ter laboratório e aparelho de ultrassom próprios, além de uma excelente experiência de acolhimento. O avanço da Telemedicina em outros países também deve ser acompanhado com atenção pelos players de mercado, segundo Ponce. Um dos desafios apontados para os próximos anos é estabelecer um pós-venda digital eficiente com os consumidores.

 

De acordo com Madalena, o mix de produtos aumentou porque foi impulsionado pela mudança de comportamento dos consumidores. Para ela, os nativos digitais têm impactando bastante o setor, exigindo das marcas propósito, posicionamento social e ambiental claros. Segundo ela, as marcas não podem mais fazer o que acham que devem fazer. É essencial ouvir o que os consumidores querem para planejar e trabalhar de acordo com a visão e necessidades dos clientes. A especialista sinalizou, ainda, que uma grande tendência é o fato de que o pet saiu do quintal e foi para a cama, gerando uma maior humanização, pois a composição familiar também mudou.

^