Empreendedores do mundo tech analisam tendências para próximos anos

“Os dados são os recursos mais valiosos do mundo hoje”, diz Rafael Sasso, ao abrir a última Comissão de Startups do ano, no dia 05 de dezembro. O empreendedor e investidor anjo analisou como o big data e a inteligência artificial estão mudando dois mercados em especial: o imobiliário – o Real Estate – e o jurídico.

“Quando você trabalha com dados, você mensura e consegue tomar decisões mais assertivas”, explica Sasso. Ferramentas como o Infoprop e Quinto Andar fogem do modelo tradicional de negócios e têm conquistado espaço no âmbito de locação e venda de imóveis. Essas “Fintechs” usam a tecnologia para aumentar a quantidade e qualidade de informações repassadas ao cliente e tornar os processos menos burocráticos e mais rápidos.

Na área jurídica, o Projeto Victor, que usa inteligência artificial para ler e identificar os recursos extraordinários destinados ao Supremo Tribunal Federal, deve agilizar processos que durariam 40 minutos, em 5 segundos. O projeto ainda está em fase de construção. Outra iniciativa para tornar o sistema mais eficiente e reduzir os custos é o Future Law, centro de inovação inaugurado em São Paulo para estimular a tecnologia no direito.

Com a ideia de conectar startups de diferentes segmentos para trocar experiências e fazer negócios, Claudia Dreger criou a Startup Network, uma rede de relacionamento entre profissionais interessados em alavancar projetos no universo tech. “Os participantes do grupo são empreendedores, líderes de mercado, gestores de empresas e mentores”, conta Claudia, que tem mais de 20 de carreira no desenvolvimento de novos mercados no Brasil e no exterior. O grupo vai fechar o ano com 1000 startups participantes

O mentor de startups da FIESP, Fernando Seabra, também esteve na Comissão da Câmara de Comércio França Brasil. Ele dividiu dados expressivos do trabalho realizado na entidade. Em 22 edições o programa “Acelera Startups” recebeu mais de 52 mil projetos de todo País. Destes 3250 foram escolhidos. Mais de 600 mentores voluntários dedicaram mais de 6.000 horas de mentoria gratuitas. Das 124 startups finalistas, 28 startups foram escolhidas. “Sempre reforço que o empreendedor de sucesso precisa ter foco nos 3 Ps: pessoas, projeto e processo”, analisa Seabra.

^